IX EMOLIM é realizado em Campinas


Com 150 participantes, o encontro reuniu pessoas de diferentes estados com o propósito de mobilizar a igreja na missão de Deus 

No dia 15 de setembro, aconteceu o IX EMOLIM – Encontro de Mobilizadores e Líderes de Missões, no auditório do SPS – Seminário Presbiteriano do Sul, em Campinas, São Paulo. O evento reuniu mais de 150 pessoas de diferentes estados do Brasil. A caravana vinda de mais distante foi a de Vilhena, Rondônia, contando com 10 participantes.

O EMOLIM é realizado pela APMT em parceria com a JMN. Cada autarquia missionária teve a oportunidade de expor os avanços dos projetos dentro e fora do Brasil, como também foi falado sobre os desafios e alvos que precisam ser alcançados. "Esse encontro é pensando para ser uma forma de atualização e capacitação na área de mobilização missionárias para as igrejas, conselhos missionários, lideranças oficiais e de soceidades internas. Uma oportunidade de promover uma aproximação entre igreja, missionário e agências em prol da ação mobilizadora missionária da IPB", explicou Simone Alvarez, missionária da APMT no departamento de Ensino, Capacitação e Mobilização.

O Diretor do Seminário, Rev. Carlos Machado, deu as boas vindas aos presentes, agradecendo a oportunidade de realizar o evento nas instalações do Seminário e promovendo uma maoir aproximação dos seminaristas com a mobilização missionária. “É muito importante nossos alunos terem esse contato intenso com a APMT, JMN e as realidades missionárias dos campos da IPB. Pois como líderes, se eles não têm o chamado para campos distantes, ao reconhecer que têm o chamado para os campos de Cristo, eles mobilizam sua igreja local”, disse o Diretor.  

O Rev. Sergio Paulo do Nascimento, que há mais de 25 anos participa da diretoria da APMT, por vários anos presidente e atual vice-presidente, expressou sua alegria em ver o crescimento da obra missionária na IPB e também em poder realizar, pela primeira vez, um EMOLIM fora de São Paulo. “Para mim, é uma emoção ver o Seminário se abrindo para o trabalho voltado às missões transculturais. E espero que seja o primeiro de muitos, para desafiar não somente os seminaristas, mas também as igrejas da região de Campinas”, informou Rev. Sérgio de forma emocionada, por ter sido ali onde ele recebeu seu chamado transcultural.

A primeira palestra inspirativa teve o tema de Vocação coletiva, falando da importância da Igreja como agente missionária. O tema foi ministrado pelo Rev. Jair Almeida, pastor da IP Jardim da Glória e parceiro da APMT na formação de Seminaristas em Guine Bissau e Presbíteros e Pastores em Angola.

O casal de missionários, Gerson e Marília Troquez, que atua no Senegal, compartilhou sobre o trabalho e os projetos de plantação de igrejas e ações na área da saúde desenvolvidos na capital, Dakar, e também em outras aldeias, juntamente com a equipe de missionários. O Senegal é hoje um país que apresenta um grande desafio, pois consta com mais de 90% da população praticando o Islamismo animista.

Uma das primeiras participantes a chegar ao evento foi dona Irani Nonato, que viajou 12 horas para chegar ao local. Ela é membro da Igreja Presbiteriana Central de Ceres, Goiás e vice-presidente do Conselho Missionário da igreja.  Para ela, o EMOLIM foi uma grande oportunidade de se atualizar a respeito dos missionários que sua igreja apoia, e também de outros desafios. “Aproveite uma viagem que já faria a São Paulo, e recebi a incumbência da líder do nosso departamento de vir representá-los e depois repassar à igreja o aprendizado que recebi aqui”, conta. A Igreja de Ceres é apoiadora de vários missionários da APMT, realiza conferências missionárias, vigílias, uma parceira presente daqueles que enviou aos campos. “A missão que Jesus deixou é para todos aqueles a quem Ele salvou, e isso faz de todos nós aqui um missionário. Nós participamos obedecendo ao pedido de Jesus, divulgando o reino de Deus, falando às pessoas, pois sabemos que não há nada melhor do que servir ao Senhor!”, completa ela.

Os participantes puderam realizar duas oficinas no período da tarde, que abordavam diversos temas de capacitação para a igreja local, como criação de departamentos missionários, viagens de curto prazo, informações sobre as estáticas globais de missões e diversos outros temas.

O Rev. Reginaldo Goulart, missionário entre os ciganos na região de Caldas Novas, GO, esteve acompanhado do cigano Sérgio, que teve a oportunidade de apresentar duas músicas do seu CD, criado especialmente para evangelizar outros ciganos, e ainda ensinou o auditório uma música na língua Calón. "Deus está movendo os corações dos ciganos. Nos últimos anos, mais de 200 ciganos foram batizados, líderes sendo formados, e hoje, temos um casal que está cursando o IBEL, para logo ser enviado como missionário entre o próprio povo”, contou Rev. Reginaldo.

Um diferencial do Emolim 2018 foi ter, pela primeira vez, acessibilidade em libras e a presença do André Monari, membro da VI Igreja Presbiteriana de São Bernardo, que pode participar de todas as programações do evento através do trabalho de um interprete. “Eu gostei muito de ter participado do evento, de conhecer missões de diversos lugares, e de como as pessoas estão levando a mensagem e os povos as recebendo. E como surdo, me senti muito motivado em trabalhar com missões para alcançar outros surdos também, dentro e fora do país”, contou André. Os surdos são hoje um dos sete grupos socioeconômicos menos evangelizados no Brasil, em que dos 10 milhões registrados pelo Censo do IBGE de 2010, apenas 1% teve contato com o Evangelho.

A última palestra foi ministrada pelo Rev. Fábio Ribas, coordenador da Missão Caiuá entre os indígenas da região de Mato Grosso do Sul. O missionário ministrou sobre a Vocação Pessoal, atingindo os corações dos presentes e compartilhando também sobre a realidade indígena atual do Brasil. "A igreja indígena vive hoje um momento muito especial, onde existe uma geração que quer se capacitar mais teológica e biblicamente, com líderes locais se preparando como obreiros e pastores indígenas, motivados a evangelizar seus familiares e outros grupos étnicos. E é extremamente importante essa aproximação que a igreja está tendo aqui no Emolim de conhecer, apoiar e fortalecer esse movimento indígena que tem crescido no Brasil hoje”, compartilha Rev. Fábio Ribas.

Muitos foram os desafios apresentados durante o Emolim e que precisam do apoio das igrejas locais para o continuo avanço da obra missionária da IPB. E dentre as perspectivas apresentadas pela APMT estão: o recrutamento de mais de 100 novos missionários nos próximos 10 anos; novos missionários para a tradução da Bíblia; mais missionários para atuar na Base; novos candidatos para o trabalho entre grupos minoritários no Brasil; e o fortalecimento e ampliação de ministérios entre indígenas no Brasil.

O Rev. Marcos Agripino, executivo da APMT, encerrou o evento louvando a Deus pela vida de cada participante pelo trabalho que realizam nas suas respectivas igrejas em apoio à obra missionária da IPB. “Nossa expectativa é para que tudo o que os participantes puderam ouvir e testemunhar durante o evento, sobre os dados, avanços e desafios, possam se multiplicar em suas respectivas igrejas, e somando forças, consigamos mobilizar as igrejas do Brasil”, explica Rev. Agripino.

Veja as fotos do evento CLIQUE AQUI

Comentários